Educação de qualidade para todos – e para ontem!

Por meio do movimento Mapa Educação, jovens cobram propostas dos candidatos a prefeito para a área e prometem fiscalizar as ações dos eleitos
mapa-c
Time do Mapa Educação e plateia, no lançamento do Manifesto Voz do Jovem/Foto: Divulgação

Carolina Mainardes

A urgência e a determinação do jovem para questões de interesse dele têm começado a revolucionar também a área educacional no Brasil. Atualmente, um projeto envolve em torno de 130 participantes espalhados pelo país, com foco na melhoria da educação. “Queremos cobertura escolar para todo mundo, com qualidade e em todos os estágios de ensino – e para ontem”, afirmam Bruno Proença e Gustavo Empinotti, respectivamente o responsável pelo Marketing e o diretor de Conteúdo do movimento Mapa Educação. A ONG se define como suprapartidária e todo o trabalho desenvolvido é voluntário. “Nosso objetivo é [contribuir para] que todos os brasileiros tenham acesso a uma educação de qualidade e fazemos isso dando ferramentas a jovens do Brasil inteiro que queiram mudar a educação, especialmente por meio da política”, explicam. Para isso, foi criada a campanha #MapaNasEleições. Segundo Bruno e Gustavo, a ação consiste na cobrança de maior atenção dos políticos com a educação durante suas campanhas eleitorais e, com base no resultado das eleições municipais deste ano, o acompanhamento das promessas feitas. A campanha está sendo realizada em três capitais: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Salvador (BA). Eles contam que a adesão dos candidatos a prefeito foi muito boa no Rio e em São Paulo. Mas, em Salvador, encontraram dificuldades: “Devido à situação de lá – um candidato está praticamente eleito, segundo as pesquisas, e não retornou nossos contatos. Não deve considerar importante debater o tema ou tem medo de cobranças futuras, baseadas nas propostas”.

Curta o Radar da Educação no Facebook

Siga o Radar da Educação no Twitter

Nas redes sociais

Até agosto, o movimento recebeu perguntas e questões sugeridas por jovens convocados a participar por meio das redes sociais, com a hashtag #MapaNasEleições. As perguntas foram enviadas aos candidatos, que gravaram suas respostas em vídeos divulgados nas redes sociais do Mapa Educação. Somente no Facebook, o movimento tem mais de 80 mil seguidores. Um exemplo de pergunta enviada aos candidatos é: “Quem será seu secretário da Educação? Quais as qualificações para ocupar esse cargo?”. Dos concorrentes à Prefeitura de São Paulo, enviaram suas respostas Fernando Haddad (PT), Henrique Áreas (PCO), João Bico (PSDC) e Ricardo Young (Rede). A opinião dos candidatos sobre questões polêmicas, como o projeto Escola sem Partido, e aspectos de política para o sistema educacional, como propostas para os professores da rede municipal de ensino, também foram questionadas. “Ainda estamos recebendo vídeos de alguns candidatos que deixaram para última hora. Gostamos muito de poder ouvi-los, fazê­los pensar na educação do seu possível futuro governo”, comenta Bruno. “E sabendo que serão cobrados – isso nos motiva muito”, completa Gustavo.

Cobrando os candidatos

Eles consideraram algumas respostas muito genéricas e irão lançar um vídeo resposta ainda esta semana, para os candidatos das três capitais. “A ideia é poder ouvir o contraponto deles para as nossas respostas”. Também já está sendo divulgada uma ação que pede que os eleitores cobrem os candidatos que não participaram. “A campanha ainda não acabou, mas já avaliamos que é um sucesso”, afirmam os integrantes, que destacam a interação do público nas postagens dos vídeos. Eles acrescentam que alguns seguidores, que estavam indecisos, decidiram o voto por causa da campanha. E também há candidatos a prefeitos de outras cidades que não estavam nos planos iniciais, mas quiseram responder às perguntas. No fim da campanha #MapaNasEleições, o movimento pretende montar um observatório, com as propostas dos candidatos eleitos. Eles frisam que irão trabalhar para mobilizar a juventude para cobrar seus representantes – prefeitos, vereadores, secretários – por melhorias na educação, mesmo fora da época de eleições. “A ideia é tornar a educação o centro do debate na política nacional e mostrar aos jovens que eles podem mudar a realidade com suas próprias mãos, não precisam ser passivos”. Eles pretendem expandir o projeto para as eleições presidenciais de 2018.

Educação de qualidade

Para que o país consiga assegurar educação de qualidade para todos, Bruno e Gustavo defendem uma análise realista, com base em metas, prazos e estratégias, como prevê o Plano Nacional de Educação (PNE). “Cabe à população se informar sobre iniciativas como o PNE e cobrar dos seus representantes que as metas sejam alcançadas”, advertem. Para engajar os jovens, eles apostam em histórias reais de que a educação pode mudar vidas. “Temos exemplos no movimento, com nossos fundadores, e também buscamos fora, para mostrar aos nossos seguidores que com educação tudo podemos”, afirmam.

Outra ação do movimento foi o Manifesto Voz do Jovem, lançado recentemente, fruto de pesquisa que teve como objetivo buscar informações sobre temas relacionados à educação, baseadas na visão do jovem. Para mais detalhes, visite o site mapaeducacao.com.

 

 

 

Obrigado pelo seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s