Atividades físicas podem melhorar aprendizado

unnamed

Pedro Andrade/Unic Rio (Arquivo)

É o que aponta pesquisa, com base no conceito de “escolas ativas”, que será lançada em 2017. Dados parciais já estão disponíveis

Radar da Educação com informações da ONU Brasil

Atividades físicas podem melhorar a qualidade de vida e o rendimento acadêmico de crianças e adolescentes, funcionando como uma ferramenta de desenvolvimento humano entre os jovens em idade escolar. Essa é uma das conclusões preliminares de um estudo realizado desde 2014 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O relatório – que aborda o conceito de “escolas ativas” e sua relação com a realidade da educação no Brasil – foi discutido por especialistas na semana passada (6), em Brasília, durante última reunião do comitê técnico responsável pela pesquisa.

Curta o Radar da Educação no Facebook

Siga o Radar da Educação no Twitter

A representante da Universidade de São Paulo (USP) na coordenação do estudo, Paula Korsakas, destacou que há uma relação direta entre a prática de atividades físicas e melhorias no processo cognitivo. “Fazer atividade física moderada, de média duração, ou o que chamamos de aeróbica, favorece o foco de atenção do aluno, impactando positivamente no meio escolar”, afirmou.

A pesquisa

Desenvolvida pelo PNUD e parceiros desde 2014, a pesquisa já entrevistou por telefone equipes de 600 colégios de todas as regiões do Brasil, da educação infantil ao ensino médio. Em um segundo momento, foram organizadas visitas de campo a 20 centros de ensino, com o objetivo de conhecer a cultura de exercícios físicos no ambiente escolar brasileiro.

Escolas ativas

Com a avaliação, a agência da ONU busca elaborar uma proposta para tornar as escolas do Brasil mais ativas. Segundo o PNUD, trata-se de um modelo educacional comprometido com a promoção de atividades físicas no cotidiano escolar. A experiência das “escolas ativas” pelo mundo teve início nos anos 1990, sobretudo em países europeus. A ideia é levar alunos a adotarem um estilo de vida que inclua a prática de exercícios.

As primeiras iniciativas para uma escola ativa são, geralmente, aumentar as aulas de educação física e atividades extracurriculares relacionadas ao esporte e atividade física. No entanto, existe um desafio maior: saber como o ambiente acadêmico pode influenciar esses hábitos dos alunos fora dos espaços escolares. “Desenvolvimento humano é a possibilidade de ampliação de escolha das pessoas. As atividades físicas e esportivas podem ser um vetor do desenvolvimento, pois aumentam a qualidade de vida e de escolha, enriquecendo a vida de cada um”, disse a coordenadora do Relatório de Desenvolvimento Humano do PNUD, Andréa Bolzon.

Lançamento

A pesquisa completa será lançada no primeiro semestre de 2017 e servirá como base para um dos capítulos do próximo Relatório de Desenvolvimento Humano Nacional. Acesse o Caderno de desenvolvimento humano sobre escolas ativas no Brasil, documento que contém os resultados parciais dos estudos realizados até o momento: goo.gl/HLt940.

 

 

Obrigado pelo seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s